Desde que o mundo é mundo, grandes explosões foram responsáveis por reescrever a história e mudar completamente o rumo da humanidade. Fosse na naturalidade do Big Bang ou na perversidade de Hiroshima, elas estavam lá sendo um marco.
O poder de fogo nas mãos deu ao homem novas possibilidades e para o planeta grandes problemas. Escolhas mal feitas são corrigíveis, mas muitas delas poderiam ser evitadas na origem com cuidado, estudo e ações estratégicas.
Libertar-se para o novo não significa ignorar o passado, mas tirar dele o ensinamento dos próximos passos. A posse de boas ferramentas já não é importante sem antes entender o ambiente em que serão usadas.
Além, claro, do material mais importante de todo este contexto: o fator humano. Nele estão 7 bilhões de incógnitas matemáticas, divididas em diferentes sociologias e prontas para brigar por sua filosofia. Fascinantes e envolventes, eles observam, caminham, trabalham e navegam.
A maneira de chegar até eles? Estamos descobrindo todos os dias. Já nos munimos de boas ferramentas, grandes análises e eficientes planos.

O que falta? O seu comando para irmos em frente. 3, 2, 1: ação!